terça-feira, 9 de junho de 2009

E Agora, Prefeito?


Talvez por não ter uma equipe competente ou no afã de agradar aos empresários dos transportes coletivos, o sr. Prefeito Municipal de Feira de Santana, na calada da noite, aproveitando-se dos festejos micaretescos, aprovou o aumento da tarifa do transporte urbano e rural, sem qualquer discussão com a sociedade.
Manifestações soaram em nossa cidade. Os estudantes foram as ruas protestar. A população, mesmo acatando o aumento, o tem repudiado, pois nenhuma categoria teve esta benesse de um aumento superior a 8%. Inclusive o próprio prefeito ao aumentar os seus servidores, apenas deu um pouco mais de 5%, em duas parcelas.
E o nosso prefeito em nenhum momento tem admitido rever o aumento dos transportes.
Agora, um pouco mais de um mês do famigerado aumento, a Petrobrás reduz em 10% o valor cobrado no óleo diesel, com uma recomendação às prefeituras para reduzirem os valores das tarifas, colaborando para o controle da inflação.
Agora, pergunto. E aí, Dr. Tarcízio, o sr. irá convocar o "Conselho de Transportes" para rever os valores? Ou o Conselho irá confirmar o que todos dizem, só se reune para conceder os aumentos solicitados pelos empresários?
Possui o Município talvez a pior frota de ônibus do País. É só olhar as placas dos veículos. Temos ônibus de Camaçari, Petrolina, Juazeiro, Fortaleza, etc. Tudo veículo de terceira mão.
Só para lembrar ao prefeito, segundo os empresários, o óleo combustivel tem o maior peso nos custos das empresas. E agora, qual o argumento que V. Exa. utilizará para justificar o injustificável, ou seja a manutenção do aumento?
Terá coragem de enfrentar os empresários da mesma forma com enfrentou os bravos estudantes?
Com a palavra dr. Tarcízio Pimenta.

Um comentário:

Anny Garnier disse...

Sr. Sá, elogio o seu blog pela iniciativa, ao tratar de problemas sociais de nossa cidade.Contribuo para divulgar seu blog, pois, toda população feirense deve estar atenta aos dilemas existentes em nosso munícipio, principalmente aqueles ligados a "má" administração pública. E essa questão do transporte coletivo reflete como os movimentos sociais tem sido desarticulado, coptados sob o consentimento das autoridades políticas, é uma vergonha a repressão policial para com a organização estudantil. E olhe que a ditadura militar findou a quase 4 decadas atrás.

Até mais!!!